Judas 2015

Queima e Rebentamento do Judas 2015

Trigo Limpo teatro ACERT  

JUDAS

Canção primeira

No princípio dos princípios (cá na minha)

Nunca havemos de saber

Se foi o ovo ou a galinha

O primeiro a nascer

Se foi o pobre ou o foi o rico

O primeiro a aparecer

Se foi o povo ou foi o rei

O primeiro a aparecer

Se foi o fruto ou a semente

O primeiro a nascer

 

Eu cá pra mim (estou em crer)

O mundo inteiro já foi feliz

E bonito de morrer

 

No princípio dos princípios (cá na minha)

Nunca havemos de saber

Se foi o ovo ou a galinha

O primeiro a apodrecer…

 

Mais um ano, mais um Judas…

A ACERT realiza, desde 1996 a Queima e Rebentamento do Judas, numa versão de teatro de rua com participação comunitária.

Este acontecimento (que marca anualmente o calendário das atividades culturais da Região Centro) é constituído por dois momentos distintos mas complementares: A Fábrica da Queima e a Queima e Rebentamento do Judas.

No primeiro momento (a fábrica) a equipa do Trigo Limpo teatro Acert e um grupo de outros parceiros, (alguns deles “repetentes” já há vários anos), enquadram um vasto conjunto de voluntários que, numa semana, constroem, ensaiam, inventam, tudo o que é necessário para ser “queimado” no espetáculo final. Em suma, divertem-se, para que o cenário, os adereços, as coreografias, a música, o fogo… estejam prontos para a noite do Judas.

O segundo (a queima) é o momento que junta as duas centenas de construtores/criadores/participantes aos milhares de pessoas que vêm assistir (participando também) a esta celebração de raiz ancestral que se renova para, através da ironia, criticar os “males” do ano anterior e assim nos lavar a alma, deixando-nos limpos por mais um ano.

 

Canção final

Porque és um vil ladrão sacripanta

Corrupto, desonesto e aldrabão

Porque é um cão danado, nojento

Traidor, arrogante e ladrador

Vais Rebentar! Vais Rebentar! Vais Rebentar!

Judas…